Classicologia #21- Alma em Suplício (1945)- Amor Materno acima de Tudo

“Veda me convenceu de que os jacarés estão certos. Eles devoram seus filhotes.”

alma-em-suplicio

A vida é oportuna e o Classicologia também! Aproveitando este domingão de Dia das Mães, o filme homenageado de hoje, Alma em Suplício (1945), é responsável por ter uma das mães mais sofredoras e batalhadoras do cinema, Mildred Pierce, interpretada majestosamente por Joan Crawford. O filme, baseado em livro homônimo escrito por James M. Cain é considerado superior a obra literária, mesmo tendo sido feito na época em que Hollywood censurava qualquer cena explícita de sexo ou violência.

O filme começa mostrando um assassinato…

large (2)

Onde a vítima sussurra a palavra “Mildred”. Após ser acusada desse assassinato, cuja vítima era seu ex-marido, Mildred Pierce começa a ter sua história mostrada em flashbacks, garantindo, no final, sua inocência e mostrando também a culpa por ter “alimentado” aquela que se tornaria uma de suas decepções, sua filha Veda ( Ann Blyth).

Joan Crawford era conhecida por…

large (1)

Ser uma pessoa de temperamento forte e não ser considerada uma boa mãe (já falamos sobre isso em O que terá acontecido a Baby Jane?). Interpretar Mildred Pierce foi uma grande ironia, já que no início, apesar de pensarmos na personagem como vilã, depois ela mostra-se uma mulher forte e vítima de seu amor-maior: a própria filha. O que não acontecia na vida real da atriz. O filme, que apesar de muito dramático, pertence ao estilo noir (relembre o tema no nosso texto sobre Crepúsculo dos Deuses) e mostra Mildred como um exemplo de atitude feminina forte. Uma mulher, que apesar de carregar certa inocência, após ser abandonada por seu primeiro marido, é responsável por cuidar de suas filhas, erguer um novo negócio para sustentá-las, especialmente Veda, cujos gostos eram refinados demais. Ao fazer as vontades dela, Mildred criou um monstro. Uma menina egoísta e que não mediu esforços ao fazer sua mãe sofrer. Um exemplo é quando a garota se casa por interesse e não avisa à própria mãe.

Alma em Suplício e seus filhotes

Toda grande obra, inspira outras. Em 1989, a rede Globo exibiu a novela Vale Tudo, onde as personagens principais, Raquel (Regina Duarte) e Maria de Fátima (Glória Pires) foram, respectivamente, inspiradas em Mildred e Veda.

Já em 2011, Kate Winslet reviveu a personagem de Joan Crawford ao estelar a minissérie da HBO, Mildred Pierce, onde reencarnou os sofrimentos e lutas da personagem.

Alma em suplício deve ser assistido porque…

large

É um retrato interessante da relação entre mãe e filha. Mildred acabou provando do próprio veneno ao querer dar o melhor para Veda. Entretanto, não há como culpá-la, pois como mãe ela apenas queria dar o melhor para sua filha, e jamais pensaria que a garota se tornaria alguém sem escrúpulos.

large

Além disso, a atuação de Joan Crawford está esplendorosa. Não é à toa que venceu o Oscar de melhor atriz pela personagem.

large (1)


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s