O Quarto de Jack (2015)

“Você vai amar.

– O quê?

-O mundo.

download

Título: O Quarto de Jack (“Room)

Diretor: Lenny Abrahnamson

Ano: 2015

Pipocas: 9,5/10

Concorrendo nas categorias de melhor atriz, melhor filme, melhor roteiro adaptado e melhor direção, O Quarto de Jack (“Room”) conta a história de uma moça chamada Joy (Brie Larson) que foi sequestrada aos 17 anos de idade e vivia a 7 em cativeiro. Ela era mantida num cubículo com seu filho de 5 anos de idade, Jack (Jacob Tremblay), que nunca havia visto o mundo fora do lugar que chamavam de Quarto. O sequestrador, que recebe o nome de “Old Nick” (Sean Bridgers), era o pai de  Jack e matinha relações sexuais regularmente com Joy, ele os sustentava e os mantinha presos com o básico para sobreviver. A autora do livro que deu origem ao filme, Emma Donoghue, afirma que essa história não reflete diretamente nenhuma história real, mas nós sabemos que poderia muito bem.

O quarto único possuía as “facilidades” de todos os cômodos de uma casa, vaso, uma banheira, pia, uma cozinha precária e uma televisão. Joy havia ensinado a seu filho que existiam coisas reais, tudo que estava dentro do quarto, e coisas irreais, tudo que estava na TV. Com cinco anos de idade e criado em isolamento, Jack acreditava piamente nisso, chegando ao extremo de recusar as histórias que sua mãe lhe conta sobre os oceanos, as cidades e as outras pessoas. Assim, crescendo e vendo apenas sombras da realidade, Jack reproduz uma versão moderna e perturbadora do Mito da Caverna. Mas não foi à toa que sua mãe resolveu ofuscar seus olhos com os raios da vida real, na verdade, ela temia que Old Nick não fosse mais capaz de mantê-los, quando ele a informa que ficou desempregado. Isso dispara o gatilho para a elaboração de um tardio, questionável e arriscado plano de fuga. Poucas cenas são mostradas para explicar a relação de Joy e Old Nick, pois o filme é contado sob a perspectiva de Jack e sua mãe evita com todas as forças que ele e Nick mantenham qualquer tipo de contato, mas medo e ódio não são os únicos sentimentos envolvidos e isso é certamente desconfortável.

external

Talvez o único ponto negativo do filme é que ele foi feito para ter seu clímax exatamente na metade e isso faz com a segunda parte seja, embora tão interessante quanto a primeira, muito discrepante em relação a primeira, o que causa uma espécie de desconforto visual comum a quem por muito não vê a luz do dia. Há ainda algum desgosto para aqueles que veem o filme caminhando a passos largos para um final anti-climático. Se dentro do quarto as coisas eram difíceis, fora dele há mais espaço para o desespero e dramas familiares, nesse ponto, é preciso ressaltar que Joan Allen, Tom McCamus e William H. Macy (este com uma participação minúscula) fizeram um excelente trabalho enquanto núcleo familiar. Por fim, num determinado momento, a dúvida que fica é se Joy não teria feito de Jack seu refém emocional enquanto eles eram reféns de Old Nick, e ela não saberia lidar com a liberdade ou a liberdade do filho. Haveria se esquecido de como era ser livre?

Por fim, O Quarto de Jack é uma história tão bonita quanto perturbadora, muitíssimo bem atuada e executada que pode até não levar nem uma estatueta esse ano, mas que certamente trará excelentes experiências a quem o assistir.


4 comentários sobre “O Quarto de Jack (2015)

  1. Exatamente o que eu também achei sobre o clímax do filme ser na metade e a segunda metade se tornar um pouco “estranha”.

    Mas o filme tem muitos méritos e é um bom exemplo de como o cinema pode ser incrível e nos emocionar com ótimas histórias e personagens.

    1. Sim, com certeza. Não sei pra você, mas pra mim o choque foi maior ainda porque eu não fazia ideia de que eles seriam resgatados. Fui ver o filme sem ler nenhuma sinopse ou ver o trailer. Foi realmente um choque e depois o estranhamento. Obrigado pelo comentário e siga nos acompanhando 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s