Yellow Sounds #13 – …Baby One More Time (1999)

It’s Britney, b*tch!

url

Ok. A frase de abertura do post não é do álbum em questão, eu sei. Mas, é a melhor forma de começar a falar de uma das maiores divas pop que eu vi crescer, Britney Spears.

Ainda ontem, ela completou 34 anos e eu fui à lista dos “1001 discos para ouvir antes de morrer” ver se, por acaso, quem sabe, algum álbum de Brit estaria por lá. Confesso, me surpreendi por encontrar …Baby One More Time e, mais ainda, por perceber que, se há um álbum de Britney que precisamos ouvir ainda nesta vida, ele não é Blackout (2007).

Pode ser que a razão para isso seja o estrondoso sucesso do álbum de estreia da cantora, que gravou para sempre em nossas mentes o “hit me baby one more time!”. Isso ainda gruda, viu gente.

hit me

Esse foi o primeiro single da então aspirante à diva-teen. Não foi lá tãaão aclamado pela crítica, mas foi o responsável por levar o nome de Britney pelo mundo todo e a importantes premiações. A cantora inclui Baby One More Time como uma das músicas favoritas de sua carreira.

Certamente, por mais antiga que a música soe nos dias de hoje – o pop mudou, né?- , é inegável o impacto que ela causou. Algo que ecoa até hoje.

Apesar de todo esse destaque, arrisco dizer que minha música preferia é (You Drive Me) Crazy, que também foi um dos singles do álbum, junto com Sometimes, Born To Make You Happy e From the Bottom of My Broken Heart. Essas, bem menos dançantes e animadas do que as duas primeiras que, provavelmente, são as únicas que você se lembra (a não ser, claro, que seja ou tenha sido fã de carteirinha de Britney).

O que se espera de singles é que sejam sucesso. Mesmo que todos tenham alcançado marcas interessantes, num geral, dividiram opiniões. E isso se refletiu na recepção de …Baby One More Time. Que fique claro, estamos falando da crítica. O sucesso comercial é inquestionável!

Além da voz – que chamou atenção das gravadoras -, o potencial de Britney para se tornar, de fato, uma diva-teen foi reconhecido e amplamente explorado. E não estou falando apenas em função da beleza e nem do ocasional uso de roupas consideradas inapropriadas nos clipes e apresentações (sim, isso chamava a atenção e recebeu comentários negativos). As dancinhas eram sensação naquela época.

De 1999 para cá, a “Princesa do Pop” passou por muita coisa e nós pudemos assistir a tudo. Não foi por cada polêmica, queda ou fundo de poço que me convenci a fazer um post pop com Britney hoje, mas pela superação de cada um desses problemas. Muita coisa mudou, mas ela segue na memória, é ainda referência e sim, arrasa nas dancinhas até hoje!

Fazia tempo que não ouvia nada da Britney e a experiência foi curiosa e divertida. Ouçam em casa, a não ser que estejam dispostos a cantar e dançar em público!

________________________________________________________________________________________

Lari Reis é jornalista, social media e viciada em música. Você pode (e deve) ver seus outros textos sobre música no seu longevo site Yellow Ever Shine e aqui no PontoJão semanalmente na coluna Yellow Sounds.


2 comentários sobre “Yellow Sounds #13 – …Baby One More Time (1999)

  1. Olhando para o presente, é incrível ver o quanto a Britney cresceu em menos de duas décadas e se estabilizou como um dos maiores nomes da música pop internacional. Passando por muitos altos e baixos, ela conseguiu dar a volta por cima e lutar contra a mídia, as pessoas e a sua maior rival: ela mesma. Parabéns pelo post genial!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s