O Auto-retrato Suicida de Sá-Carneiro

Image

Livro: Poemas (Edição Tersa Sobral Cunha)

Autor: Mario de Sá-Carneiro

Editora: Cia. das Letras

Ano: 2003

O maior parceiro e correspondente de Fernando Pessoa no início do movimento moderno lusitano, que também foi chamado de Geração de Orpheu (em detrimento da revista organizada principalmente por Fernando Pessoa). E assim normalmente Mário de Sá-Carneiro é descrito, sempre à sombra daquele que é o grande nome do modernismo português, além de um dos autores mais influentes da literatura de língua portuguesa. Essa associação é natural, pois nota-se na obra de Sá-Carneiro a influência clara de Pessoa. Além disso, Mário Sá-Carneiro transparecia ter uma dependência intelectual voraz da opinião de Fernando Pessoa. O livro Poemas (organizado por Teresa Sobral Cunha, Cia. das Letras 2003) traz nas notas partes retiradas das correspondências entre os dois. Aparentemente, assim que Mário de Sá-Carneiro terminava um poema, enviava imediatamente para Pessoa a fim de saber a opinião do mesmo.

O livro traz basicamente três obras de Mário Sá-Carneiro: Dispersão, Indícios de Oiro e Manucure. O primeiro, uma série de doze poemas que vão dispersando sobre o eu lírico, começando a montar um auto-retrato do autor, A Queda é surpreendente e realmente um poema que tira o fôlego, desta primeira série é um dos destaques, pois é como se os poemas anteriores fossem uma ascensão até a “queda em sim mesmo”. A segunda série, Indícios de Oiro continua pintando o auto-retrato do eu lírico. Neste último, o oiro que é citado em várias passagens pode ser considerado a figura do que há de bom no eu lírico. Por vezes o oiro é inexistente, perdido ou existente, mas turvo. Isso para ter uma noção de como o autor se enxergava. Esta parte ainda guarda uma curiosidade, o poeta enviou a obra e deixou a cargo de Fernando Pessoa organizá-la e publicá-la. Mário de Sá-Carneiro suicidou-se com veneno num quarto de hotel de Paris em 1916 sem ver Indícios de Oiro publicado. O último poema de Indícios de Oiro, que não tem título, são duas quadras (aparentemente inacabadas) que Pessoa chamava de pré-epitáfio. Mário de Sá-Carneiro se matou alguns dias depois de compor as quadras.  Manucure, a última obra no livro, é um poema que também ficou na responsabilidade de Fernando Pessoa depois do suicídio de Mário, trata-se de um relato semi-futurista que era tido como possível marco da Geração de Orpheu junto com Ode Marítima de Álvaro Campos (heterônimo de Fernando Pessoa).

O que mais marca nessa coletânea, além de seguirem com os poemas as maravilhosas notas do editor, é ver os “estados de alma” pelos quais Mário Sá-Carneiro passou. Isso se torna possível, pois a organização dos poemas é praticamente cronológica. O que também é bastante agonizante, pois do início de Indícios de Oiro até o seu fim já é possível prever a tragédia do suicídio. O verso de Mário Sá-Carneiro tem uma linguagem única e uma pontuação “singular” por assim se dizer. Os versos são basicamente suicidas em seu conteúdo emocional.

Sinceramente, não acredito que essa seja uma obra para todos os gostos, mas mesmo que uma pessoa não goste, é impossível negar a importância desses poemas para o movimento modernista (mesmo que em vida os autores modernos tenham sido totalmente ignorados). Além disso, os versos são dotados de uma riqueza rara, o que com certeza, é fruto vários motivos para considerar Mário de Sá-Carneiro como um autor importante, sejam suas estruturas totalmente não correspondentes ao padrão clássico (embora ele usasse ainda as rimas). Seja a forma ácida e irônica do autor lidar com suas próprias mazelas.

 

Se interessou? Compre Poemas aqui


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s